Show de coreografias do Método DeRose surpreende a novos e antigos participantes do Fest-Yôga de SP

Auditório lotado, todos na maior expectativa para as coreografias dos demonstradores do Método DeRose.

Foram ao todo 8 demonstradores, uns que já não eram vistos em São Paulo há anos, outros  que chegam com a mesma energia e alta-performance abrilhantando ainda mais o evento.

O show se deu inicialmente com a demonstradora Ivani Tavares, instrutora da Unidade Berrini (São Paulo). Seguida por Sônia Monteiro, instrutora da Unidade Antas (Porto/Portugal), que levou o público ao delírio com uma demonstração de força e flexibilidade deixando todos impressionados!

Em seguida foi a vez dos homens intercalando com as coreografias femininas. Primeiro o instrutor da Unidade Anália Franco (SP), Fabrício Ferrari, em sua primeira apresentação dentro de um Festival. Mostrando que você pode chegar até aonde quiser, treinando com foco e dedicação. E logo após o Diretor da Unidade Perdizes (SP), Anderson Gouveia, que já é demonstrador de longa data do Método. E mais 4 demonstradores até finalizar a primeira parte da série de coreografias. Subiram ao palco na sequência a Presidente de Federação da França, Sónia Saraiva; a Diretora da Sede Histórica Unidade Copacabana (RJ), Melina Flores; o instrutora da Unidade Leblon (RJ), Márcio Rossetti e fechando o Diretor da Unidade Roma (Itália), Carlo Mea.

Foi sem dúvida uma noite riquíssima de cultura, arte e sensualidade, coordenada pela instrutora Virgínia Barbosa e que estava apenas começando.

Para encerrar as coreografias, o grupo Artes Cênicas do SwáSthya, coordenado pela instrutora Laura Ferro subiu ao palco cerca de 1h da manhã. Anunciado pelo Prof. Flávio Moreira, que descreveu cada um dos cinco atos, o show teve aproximadamente 20 minutos.

Superando todas as expectativas, o show deixou a todos compenetrados e vibrantes. Foi uma das coisas mais lindas já vista até hoje dentro da Rede DeRose. Expressando em movimentos, sensualidade, força, poder, energia e arte o que é verdadeiramente essa Cultura. Foi emocionante e difícil resumir em palavras o que gerou no expectador. Algo realmente novo e catalisador.

Logo mais as fotos.

Por Cherrine Cardoso

Anúncios

Lançamento da nova Campanha do Yôga 10

A agência SwáSthya! Comunicação lança a nova Campanha do Yôga 10.

A campanha anuncia um conceito inovador, com o qual pretende mostrar qual a cara do Yôga que é 10 para você, disponibilizando informações, dicas e pontos em comum entre você e o Yôga.

No Yôga 10 são contemplados 10 Universos: Estudante, Executivo, Surf, Filosofia, Música, Sustentabilidade, Vegetarianismo, Beauty & Health, Esportistas e Formação Profissional.

Acesse o site do Yôga 10 navegue pelo universo que tem mais a sua cara, descubra o Yôga que está dentro de você e comece agora a praticar. Agende uma aula experimental na Unidade mais próxima.

Por Marina Engler

Método DeRose na Rede TV

Nessa última sexta-feira, dia 26/6, os instrutores Rodrigo Vivas, Michele Hayashi, Arthur Costi, Camila Barcelos, Rafael Ramos e Juliana Turoni,  do Método DeRose fizeram uma apresentação no programa Manhã Maior da emissora Rede TV.

Assista o vídeo:

Por Marina Engler

Método DeRose engajado na Campanha do Agasalho 2009

DeRose cedeu uma entrevista ao progama de TV Climatempo, no dia 22/6/2009, falando sobre a importância de todos os cidadãos participarem da Campanha do Agasalho.

No ano passado o Mestre DeRose recebeu uma homenagem da Defesa Civil, pelo destaque da Uni-Yôga na Campanha não só do Agasalho, mas também na de Santa Catarina.

A Universidade do Yôga, fundada por DeRose, hoje conta com uma legião de alunos, instrutores, amigos, ex-alunos, todos colaboradores que se empenham em melhor servir ao Yôga e à Humanidade, construindo uma sociedade com novos valores.

Lembremo-nos que a Defesa Civil somos todos nós e que somos fortes por estarmos unidos!

Veja um trecho da entrevista:

 

Por Marina Engler

www.uni-yoga.org/blogdoderose

http://www.campanhadoagasalho.sp.gov.br/

www.defesacivil.gov.br

Artigo sobre o Método DeRose na Revista OSX de Buenos Aires

Clique na imagem para ler o artigo.

 

Por Martín Pereira, instrutor da Sede Palermo de Buenos Aires

www.metododerosepalermo.com.ar/

www.metododerosepalermo.com.ar/blog/

www.metododerose.com.ar

Oro 1702, Palermo Soho.

+54  11  4778 3805  

Exámenes de revalidación y para futuros instructores de la Federación Argentina

El 13 de junio tuvieron lugar en la Sede Recoleta de Buenos Aires los exámenes de revalidación y para futuros instructores de la Federación Argentina. Felicitaciones a Mariano Teijido y Jaqueline Bonetti, nuevos instructores de Sede Decana. Felicitaciones a los Instructores antiguos que revalidaron con éxito sus certificados y a las futuras instructoras Camila Carbone, Natalia Brignola y Valeria Stepa que dieron su primer exámen.

Por Laura Ciuffo

Método DeRose · Sede Recoleta

www.uni-yoga.com.ar

www.yogabuenosaires.com

Vicente López 1661 L.14

+54  11  4812 7805

Curso Ásanas para coreografia com Mestre DeRose

São Paulo, 21 de junho de 2009

Neste domingo, aconteceu o curso ásanas para coreografia na Faculdade Drummond promovido pela Unidade Anália Franco.

Os demonstradores das coreografias foram os instrutores: Gisele Correa, Fabrício Ferrari, Michele Hayashi, Ivani Tavares, Rafael Ramos e Diogo Toledo.

Tais instrutores tiveram suas coreografias avaliadas pela banca formada pelo Diretor da Unidade Brooklin, André Mafra; pela Presidente da Federação de Yôga do Estado de São Paulo, Nina de Holanda; pela Diretora da Cia. SwáSthya de Artes Cênicas, Laura Ferro e pelo Mestre DeRose.

Veja as fotos:

Por Marina Engler

Instrutores do Método DeRose investem em aprimoramento

São Paulo, 14 de junho de 2009.

Hoje alguns instrutores do Método DeRose participaram de um curso de Redação com o professor JB Oliveira. O curso teve início às 9h e foi até às 18 h.

Em pleno domingo pudemos usufruir de uma aula animada, dinâmica e divertida e relembrar algumas regras gramaticais, atualizar-se no novo acordo ortográfico e colocar em prática os conceitos da redação.

Deixo aqui um agradecimento e os parabéns ao professor JB Oliveira e ao instrutor da Unidade Itaim, Daniel De Nardi pela organização desse evento.

Veja as fotos:

Viparita ashtánga sádhana

Hoje o Mestre DeRose ministrou um viparita ashtánga sádhana para mais de 100 instrutores, no Hotel Renaissance. Às 15 h DeRose começou um bate-papo descontraído, porém cheio de ensinamentos e por volta das 16 h iniciou a prática do viparita, que durou cerca de duas horas, as quais nos quedamos imersos nas origens dessa filosofia com mais de 5 mil anos. Foi uma prática que envolveu a todos com técnicas fortes e poderosas, digna do Nosso Método.

Veja também: http://www.uni-yoga.org/blogdoderose/

Por Marina Engler

Publicado pela revista dos Vegetarianos, Leaders Magazine e portais da Internet no mês de maio

Você nunca se sentiu em vão, buscando algo que sabe que nunca  encontrará, mas ainda assim jamais ousou desistir?

Recentemente, em um almoço com meu amigo Marcão, editor da Revista dos Vegetarianos, comentei que estava irritado e pasmo com o não comprometimento e excelência por parte da maioria das pessoas que estavam trabalhando na construção da nova sede de minha escola em São Paulo e que instigado por isso, iria escrever sobre algum assunto correlato; ele me deu todo o apoio, pois disse que assim, estaríamos alinhados com o adágio que permeia a Editora Europa: a busca da excelência!

“Observe esta flor, é perfeita! Podemos passar a vida inteira atrás de uma dessas e mesmo que nunca a encontremos, nossas vidas não terão sido em vão”. Com esta belíssima explanação, Mestre Katsumoto tenta, nas entrelinhas, ensinar o capitão Nathan Algren, personagem de Tom Cruise no filme o Último Samurai, sobre a incessante busca da perfeição realizada por ele e sua classe de samurais, que muito embora possuíssem a percepção de que a perfeição fosse teoricamente ilusória, mutante e inatingível, sentiam que valia a pena investir o tempo de uma vida para ir atrás de algo que não encontrarão, mas de que ao menos, aproximar-se-ão.

É impossível de expressar com palavras a sensação que se tem quando fazemos de tudo para atingirmos o inatingível, a sensação da busca nos faz dormir o sono dos anjos por tentar acordar todas as nossas possibilidades latentes.

Na outra ponta, como conseqüência da lapidação e aprimoramento que se sucede a uma boa incorporação da cultura yôgi na vida de um praticante, a exímia seleção de praticamente tudo (alimentação, comportamento, vestuário, atitudes etc) que envolve a existência do aprendiz o torna exigente com relação ao que o cerca e o faz buscar a excelência em tudo que realiza e isso, meu querido leitor, pode ser um pesado fardo a ser sustentado, se não compreendermos as invisíveis linhas que sustentam o entendimento do todo. Explico: se tudo o que você faz para si e para os outros, seja no trabalho, relacionamentos e afins, possuir um alto grau de exigência e a tentativa do alcance da perfeição dos samurais, é natural que você espere isso dos outros em reciprocidade também e, é justamente neste ponto que jaz a dificuldade, caso não estejamos atentos. Trocando em miúdos, não devemos esperar reconhecimento ou reciprocidade das outras pessoas e nem mesmo a mesma atitude ou reação que seriam do nosso feitio, pois somos diferentes dentro de nossas igualdades ontológicas.

Por vezes, quando damos o nosso melhor, não aceitamos como contrapartida algo que ouse não se aproximar disto, como por exemplo, o amor que ofertamos aos nossos cônjuges: se não sentimos o retorno com mesma intensidade, esperneamos. O truque é oferecer porque sentimos vontade, queremos e gostamos, tendo a ciência de que nem sempre, ou melhor, quase nunca, seremos correspondidos com igual devoção. Simples assim!

No entanto, apesar disso, podemos esperar o mínimo “recomendável” daqueles que se relacionam conosco, de alguma forma. Quando se trata de família, amigos, parceiros amorosos, não é demais esperar respeito, confiança, zelo etc. De prestadores de serviços como professores de Yôga, arquitetos, marceneiros, engenheiros, diretores de arte, corretores, vendedores das lojas que nos atendem diariamente… Não se deve esperar perfeição, como citado acima, mas o tradicional que foi estudado por eles e para o que foram preparados ou se predispuseram a fazer, em outras palavras, o que fazem todos os dias.

Porém, lhe imploro: se você conhece algum prestador de serviço do qual podemos esperar as qualidades acima e, isso se estende a todas as etapas de um bom trabalho executado: excelência, cumprimento do estabelecido em contrato (tipo do trabalho, prazo, preços), comprometimento mínimo, bom atendimento, pós-venda, mínimo de qualidade, ou seja, o básico que não farão do prestador um virtuose em sua área, mas alguém que será recomendado a posteriori, por favor, me indique! E que fique claro que isso independe de classe social, tipo do serviço prestado ou formação cultural. Há, neste ponto, uma curiosidade. Muitos daqueles que tiveram oportunidade de formação acadêmica ficam presos àquilo que aprenderam à época de seus estudos, aplicam e ensinam aquele material pelo resto de suas carreiras, quando, na maioria das profissões, tudo e todos vão se reciclando com o passar dos tempos. Arrisco dizer que é por estas e outras que quase não temos nutricionistas que entendem claramente uma opção vegetariana, salvo raríssimas exceções (vide Dr. Eric e Dr. George Guimarães que colaboram para esta revista), pois os demais engessaram o escopo do curso da faculdade na qual se formaram, por vezes, há décadas, e não atualizaram-se com as “novas” descobertas, limitando-se ao obsoleto e saudoso diploma pendurado nas já descascadas tintas das paredes das lembranças. Portanto, se você é como eu, um buscador da excelência em tudo que faz, não espere isso de todos que cruzem o seu caminho, mas exija sim, o “aceitável”, pois do contrário, não há evolução e assim, ficaremos sem uma das grandes dádivas que foi oferecida ao homem.

“Quando se tenta ir atrás de algo sublime e perfeito, lastreando nossos caminhos para que isso realmente aconteça,  costumamos não aceitar nada que não seja semelhante por parte dos demais.”

Por Fábio Euksuzian

fabio.euk@uni-yoga.org

Fábio Euksuzian é membro do Conselho Administrativo da Uni-Yôga, instrutor de SwáSthya Yôga e diretor da Unidade Vila Olímpia, filiada à Uni-Yôga.

Mais informações:

www.universoyoga.org.br  ou (11) 38455933